Campanha de combate ao abandono escolar tem adesão do TCE Amapá

Janderson Carlos Nogueira Cantanhede - quarta, 27 de janeiro de 2021
Campanha de combate ao abandono escolar tem adesão do TCE Amapá
TCE - Comunicação

O combate à evasão escolar ganhou novos aliados. Tribunais de Contas de todo o país, Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) e o Instituto Rui Barbosa (IRB) aderiram à campanha “Fora da Escola não Pode”, uma iniciativa da Unicef (Fundo das Nações Unidades para a Infância).

Até maio de 2020 no Amapá, o número de estudantes da rede pública em distorção idade-série era de 48.723, sendo 37.126 matriculados em escolas estaduais.

De acordo com o Observatório de Educação, existe uma idade crítica para a evasão escolar no Brasil. No ensino fundamental, com mais ou menos 13 anos de idade, a proporção de jovens na escola chega a 97%. Essa proporção cai quando se trata de jovens de 16, 17 e 18 anos. Após os 18 anos a queda volta a ser suave. Ou seja, o pico da evasão acontece entre os 14 e 18 anos de idade.

Diante da problemática, os Tribunais aderiram à campanha de combate ao abandono escolar e vão disponibilizar orientações e materiais para que Estados e municípios possam reforçar o combate a essa realidade.

Um desses materiais disponibilizados é o Guia Busca Ativa Escolar em crises de emergência, como vem acontecendo desde o ano passado devido a pandemia causada pelo novo coronavírus.

A publicação apresenta uma série de orientações e recomendações importantes para momentos como o que estamos vivendo. A plataforma disponibiliza também um curso online e gratuito “Busca Ativa Escolar na Prática” que pode ser realizado por qualquer pessoa que atue ou tenha interesse de atuar nesta estratégia.

Para utilização da plataforma é preciso a adesão por parte dos municípios e estados e o cadastro de suas equipes de trabalho diretamente na plataforma do programa.

O sistema auxilia na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão, auxiliando no planejamento e execução de ações e políticas públicas que contribuam cada vez mais para a inclusão escolar.

Para Regiane Guedes, auditora de controle externo e uma das coordenadoras da comissão de educação do TCE Amapá, é muito importante o engajamento de todos em prol da causa. “Nesse sentido, o TCE Amapá orienta que os municípios e o Estado promovam estratégias de busca ativa (caso ainda não tenham iniciado) das crianças e jovens não matriculados, em risco de não retornarem ou que não retornaram às atividades propostas pelas redes de ensino, pois, esta estratégia é imprescindível no combate à exclusão escolar”, destacou.

Para mais informações acesse: www.buscaativaescolar.org.br